Investir no m-commerce? Sim, você pode

mobile e-commerce

Ao longo deste ano, poucos assuntos foram tão explorados no comércio eletrônico brasileiro como o crescimento do m-commerce. A popularidade de smartphones e tablets, mesmo em tempos de crise, é um dos fatores responsáveis pelo crescimento do setor. E os números para o comércio no ambiente mobile continuam animadores: 40% das vendas online acontecem por meio de dispositivos móveis e a renda do público que compra por meio deles é 30% superior a de quem utiliza o e-commerce tradicional.

Esses dados mostram, então, que o m-commerce pede investimento, afinal, o cenário é atrativo para que as lojas fortaleçam seus ambientes mobile. Contudo, como se sentir seguro para investir em tempos de uma economia tão instável?

Sempre destacamos para os nossos clientes, parceiros e amigos que o e-commerce ainda não conhece a crise econômica. Ou seja, as compras continuam acontecendo porque os consumidores encontram em nosso setor melhores condições de pagamento, além de sites e produtos voltados às suas necessidades e desejos. E todas essas vantagens precisam estar também nas lojas mobile.

Deste modo, o que podemos afirmar com toda a certeza é que os varejistas virtuais devem investir para que sua plataforma de e-commerce conte com um ambiente mobile nativo totalmente aprovado pelo Google. Isto é, o site mobile deve nascer com sua loja virtual e ser especialmente preparado para os dispositivos móveis.

O varejista deve ficar atento. Muitas vezes, o que acontece no mercado é que muitos fornecedores de tecnologia de e-commerce cobram à parte a criação da versão mobile de uma loja virtual, o que é injusto, uma vez que o mercado encara um e-commerce de uma maneira unificada: o site no desktop e sua versão mobile são, na realidade, uma coisa só, e correspondem à presença digital da marca. Por isso, o ideal é que o empreendedor trabalhe com as plataformas que traga a versão mobile nativa sem custos de implementação.

Disponibilizar ao público um m-commerce nativo faz o Google ranquear melhor a loja virtual, direcionando a busca dos consumidores para os sites que atuam com o mobile commerce nativo. Isso porque o Google acompanha o crescimento do setor e percebeu nele uma maior audiência. Por isso, desde abril deste ano privilegia nos resultados de busca as marcas que atuam nele de forma nativa.

Assim, quando falamos de investimentos no comércio eletrônico, o m-commerce é item obrigatório. Com estratégias de negócio e bons parceiros, o varejista tende apenas a aumentar seus lucros.

Por: Rodrigo Schiavini

Share