Essa é uma boa hora para investir no comércio virtual?

É de conhecimento geral que o cenário econômico brasileiro atravessa uma crise. O momento é de instabilidade e dificuldades para muitos setores do mercado, e infelizmente é difícil prever quando a situação será revertida.

No entanto, mesmo em meio a grandes crises, muitos segmentos conseguem manter seu ritmo de atividades e até prosperar diante de um cenário controverso como o que o País enfrenta agora.

Projeções para o e-commerce em 2015

A e-Consulting, especializada em consultoria e estratégia em TI e Comunicação, recentemente conduziu um estudo para avaliar o desempenho de alguns segmentos do e-commerce nacional durante o primeiro trimestre deste ano.

A partir do denominado Índice de Varejo Online, o levantamento constatou que lojas online de bens de consumo, automóveis e turismo tiveram bons resultados. Com a avaliação, a e-Consulting estima um crescimento de 20,34% nas vendas do e-commerce, movimentando cerca de R$ 63,9 bilhões em 2015.

A E-Bit, empresa especializada em informações de comércio eletrônico, também estima o crescimento de 20% no comércio eletrônico no Brasil, e acredita que as lojas possam chegar a faturar até R$ 3 bilhões até o final de dezembro.

Além disso, em entrevista concedida em março de 2015 ao programa Economia & Negócios, da rede Record News, Diego Ivo, CEO da Conversion, especialista em otimização de sites (SEO), revelou que grandes lacunas ainda podem ser preenchidas no varejo online, criando boas oportunidades não só aos profissionais da área como também para novos empreendedores e comerciantes já consolidados no varejo tradicional.

Como acompanhar o bom momento das vendas online?

A tendência é que o cliente faça uma pesquisa rigorosa do bem de consumo desejado e só o adquira mediante condições financeiramente mais atrativas do que no varejo físico. Por isso, os lojistas online precisam, além de uma boa visão estratégica de mercado, se aprimorar no uso de ferramentas responsivas e analíticas para se estruturarem em tempos de crise.

Para isso, é necessário contar com todos os mecanismos possíveis para otimizar a experiência de compras em seu site. Além de uma plataforma versátil, como a Magento, que proporciona um gerenciamento dinâmico da loja, o administrador do e-commerce também precisa se atentar ao comportamento de seus concorrentes e de seus consumidores.

Com acompanhamento preciso do mercado e correta estruturação das bases tecnológicas para o funcionamento da loja online, é possível atender e absorver a migração dos consumidores para o comércio eletrônico e manter a estabilidade dos negócios mesmo durante a turbulência comercial.

POR:

Share