E-mail marketing ou redes sociais: o que é o melhor para divulgar sua loja?

E-mail marketing ou redes sociais: o que é o melhor para divulgar sua loja?

Em um passado não muito distante, especialistas chegaram a acreditar que o envio de e-mails publicitários não sobreviveria à febre das mídias sociais. Ledo engano. A verdade é que a ferramenta continua fazendo parte da estratégia de marketing de muitas empresas, assim como as redes sociais também vêm exercendo esse papel.

Mas não são raras as situações nas quais empreendedores se pegam questionando em qual dos dois canais ele deve apostar. A resposta depende da estratégia de cada empresa. Cabe ao empresário analisar os prós e contras de cada um e dar seu veredito.

Para ajudá-los na análise, comparo, abaixo, cinco características de ambos. Leia e descubra, no momento, qual é a ferramenta ideal para a sua empresa:

Alcance

No Brasil, cerca de 78% dos internautas acessam alguma rede social, segundo pesquisa realizada pelo Ibope/YouPix. O número cresce quando se fala de jovens, 92% estão presentes em algum desses sites. As porcentagens impressionam, mas ainda são menores do que a atribuída ao e-mail marketing.

De acordo com pesquisas realizadas no exterior, 94% dos internautas enviam e recebem este tipo de mensagem. Além disso, 75% dos adultos dizem que esse é o melhor meio de se receber conteúdo publicitário.

Público atingido

Por e-mail, é possível se comunicar com todos os usuários cadastrados em sua loja. Você escolhe e controla quem recebe suas mensagens. E com a ajuda de uma ferramenta de CRM, por exemplo, você pode enviar ofertas personalizadas para cada cliente.

Já nas redes sociais, especialmente no Facebook, os algoritmos do site que definem quais fãs irão receber, em seu feed, as mensagens de sua loja. No entanto, as opções “curtir”, “comentar” e “compartilhar” fazem com que sua mensagem atinja muito mais pessoas além dos seus seguidores.

Custo

E-mail marketing e redes sociais são investimentos de baixo custo, ou até mesmo de custo zero.

Para criar uma conta nas redes, não é necessário pagar nada. Dependendo da estratégia da empresa, talvez haja necessidade de investir em profissionais para produzir conteúdo e incrementar o visual da página.

Além disto, no Facebook, se quiser aumentar o alcance das publicações, há opções de anúncios pagos na própria rede.

A produção de um e-mail marketing pode ter custo zero, se você mesmo se prontificar a desenvolver o conteúdo da mensagem. Ou você pode contratar profissionais para fazer isto.

Para disparar os e-mails é preciso contar com a ajuda de uma ferramenta de envio. Existem opções gratuitas, mas que limitam a quantidade de destinatários.

Monitoramento

Com a ajuda das ferramentas de envio de e-mail marketing, é possível mensurar quantos usuários receberam, abriram e interagiram com a mensagem.

Nas redes sociais, você também consegue levantar algumas métricas. O Facebook, por exemplo, disponibiliza essa ferramenta de acompanhamento da página. É possível descobrir o alcance das publicações, traçar o perfil dos seus fãs e acompanhar o desempenho da página diariamente.

Para acompanhar o Twitter, existem diversas plataformas gratuitas que quando são integradas à conta apresentam dados bacanas. Alguns exemplos: Twitter Analyzer, Tweet Reach e TweetStats.

 Ferramentas de conteúdo

A maioria das redes sociais permite a publicação de textos, imagens e vídeos. No entanto, é necessário adaptar o conteúdo a cada uma delas.

As mensagens eletrônicas, por sua vez, suportam textos, imagens e layoutspersonalizados. Um único conteúdo pode ser totalmente multimídia. Mas ao criar esses e-mails, para o melhor desempenho da ação, é preciso utilizar um design responsivo para que as mensagens sejam compatíveis também com dispositivos móveis.

Em determinadas ocasiões, um dos canais pode funcionar melhor do que o outro. Porém, é possível integrá-los. As redes sociais podem ajudar a conquistar novos clientes, e o e-mail marketing, a fidelizá-los. O e-mail marketing pode, inclusive, ajudar a divulgar as redes sociais da sua marca.

Usando os dois paralelamente, e integrando-os, sempre que possível, você garante os melhores resultados para o seu e-commerce.

POR: MARCELO VARON

Share